quarta-feira, 31 de julho de 2013

PORTELA

 
A Majestade do Samba estará no Estácio!
 
A Estácio de Sá receberá a PORTELA e Acadêmicos do Cubango, em sua quadra, nesta sexta-feira, 2 de agosto.
 
A Escola de Oswaldo Cruz fará apresentação cuja festa terá início às 22h.
 
O ingresso terá preço único de R$10. A quadra da Estácio de Sá fica na Avenida Salvador de Sá, números 206/208, no Estácio.

Candeia (Axé - 1978)


Axé, gente amiga do samba (1978)
(Candeia)

1. Pintura Sem Arte (Candeia)
2. Ouro Desça do Seu Trono (Paulo da Portela)
Mil reis (Candeia/Noca)
3. Vivo Isolado do Mundo [part.Manacéia] (Alcides Malandro Histórico)
Amor Não é Brinquedo (Candeia/Martinho da Vila)
4. Zé Tambozeiro [part.Clementina de Jesus] (Candeia/Vadinho)
5. Dia de Graça (Candeia)
6. Gamação (Candeia)
Peixeiro Granfino [part.Dona Ivone Lara] (Bretas/Candeia)
Ouço Uma Voz [part. Chico Santana] (Nelson Amorim)
Vem Amenizar (Candeia/Waldir 59)
7. Invocado (Casquinha)
Beberrão (Aniceto do Império/Mulequinho)

Família Diniz (Lançamento DVD)

Noca (28/07/2013)


terça-feira, 30 de julho de 2013

Gradim (Lauro dos Santos)


 
Nem assim
(Gradim)
Canta:  Mario Reis e Francisco Alves
 
Ai minha vida
Oh Deus tenha pena de mim
Deixei a maldita malandragem
Para ver se endireitava
Mas nem assim
 
Para ver se endireitava
Eu deixei a malandragem
De que não adiantava
Nunca mais levei vantagem
Vou voltar a vida antiga
Pra voltar a ser feliz
Do contrãrio Deus castiga
Foi no samba que eu me fiz
 
Ai minha vida
Oh Deus tenha pena de mim
Deixei a maldita malandragem
Para ver se endireitava
Mas nem assim
 
No samba foi que eu nascí
Nele tenho que morrer
Porque isso eu já vi
Que é o meu maior prazer
Quem achar que não está bem
Pode até falar de mim
Não vou atrás de ninguém
Hei dei viver sempre assim

PORTELA - Ala dos Malandros


Eliane Faria

Passado de Glória

Noca da PORTELA (Niterói)

Argemiro

 
Minha inspiração
(Argemiro)
 
Quando ouvirem os meus sambas
Vão perguntar talvez
Vão querer saber do meu passado
Que as minhas letras são de apaixonado
Outro gênero não tem vez
Eu direi vocês estão enganados
Não faço sambas fabricados
Compreendendo vão me dar razão
Somente escrevo o que sinto
Falo a verdade e não ligo
Culpada é a minha inspiração
 
Já procurei escrever de outro jeito
Nada saía perfeito
Porque não estava em mim
Não adianta forçar a minha natureza
Se o melhor do samba é a sua pureza
E eu forçando seria meu fim

Família Diniz (Álbum DVD e CD)


segunda-feira, 29 de julho de 2013

Portelinha


Wanderley Monteiro

Manacéa (Inesquecível amor)


 
Inesquecível amor
(Manacéa)
Canta:  Manacéa

Tantas mulheres amei
Depois que te abandonei mas não sei porque
Meu coração não lhe esqueceu
Sempre bateu por você
Sonhar, até sonhei
Que estava nos teus braços outra vez
Mas quando acordei não encontrei, não, não!
A saudade ficou no meu coração
 
Foi um delito da vida que cometeste querida
Eu te abandonei, mas meu coração que sempre sentiu a dor
Igual quando se perde um grande amor

Em primeiro lugar (Chico Santana e Armando Santos)


Em primeiro lugar
(Chico Santana e Armando Santos)
Canta:  Toquinho

 Em 1º lugar eu quero a graça de Deus
Em 2º lugar quero a saúde e que Deus me ajude
Em 3º quero o dinheiro
Em 4º lugar quero a mulher
E o resto seja o que Deus quiser
Em preces eu solicito
As graças do infinito
Pois desejo sim tudo de bom para mim
Viver é sonhar
Sorrir e cantar
Sem blasfemar
Teu sofrimento qualquer
Pois o mundo é tão bom
Com saúde, dinheiro e mulher

PORTELA no Cacique de Ramos



Marcos Diniz (Toca do Gambá - Jul/2013)




domingo, 28 de julho de 2013

Alvaiade (Meu trabalho)


 
Meu trabalho
(Alvaiade e Alberto Maia)
Canta:  Ciro Monteiro
 
Moço
Meu trabalho é pesado como o que
Moço
Meu batente é duro de doer
 
Levanto cedo vou pro meu trabalho
Vivo contente procedendo assim
Além dos filhos que deixei em casa
Tem uma dona que cuida de mim
 
A minha mão é toda calejada
Trabalho muito no cabo da enxada
A minha vida não é sopa não
São 8 bocas me pedindo pão

Nilze Carvalho


Mauro Duarte e Elton Medeiros (Maioria sem nenhum)

 
Maioria sem nenhum
(Mauro Duarte - Elton Medeiros)
Canta:  Elton Medeiros
 
Uns com tanto
Outros tantos com algum
Mais a maioria sem nenhum
 
Esta história de falar em só fazer o bem
Não convence quando o efeito não vem
Porque somente as palavras não dão solução
Aos problemas de quem vive em tamanha aflição
 
Uns com tanto
Outros tantos com algum
Mais a maioria sem nenhum
 
Há muita gente neste mundo estendendo a mão
Implorando uma migalha de pão
Eis um conselho pra quem vive por aí a esbanjar:
Dividir para todo mundo melhorar

Candeia e Wilson Moreira

 
Quero estar só
(Candeia - Wilson Moreira)
Canta:  Wilson Moreira

Quero estar só
Não me vejo no espelho
pra não me ver acompanhado
Quero estar só
Não quero ouvir conselho
pra não ser mal educado


Tudo que tens pra me contar já sei de cor
O que vais falar pra mim não pode ser melhor
Pois desde os tempos de criança eu já sabia

Se conselho fosse bom não se dava, se vendia
Se vendia oh, não se dava
Não se dava oh, se vendia


Quero estar só
Não me vejo no espelho
pra não me ver acompanhado
Quero estar só
Não quero ouvir conselho
pra não ser mal educado

A minha voz leva ao infinito
o bom que aprendi nesse mundo bonito
Velho mestre em refrão sempre dizia

Se conselho fosse bom
não se dava, se vendia
Se vendia oh, não se dava
Não se dava oh, se vendia

sábado, 27 de julho de 2013

Zé Keti (Quero morrer na PORTELA)

 
Quero morrer na Portela
(Zé Keti)

Não sei o que que tem
O que tem na Mangueira
Dona Neuma é uma beleza
Digo com franqueza tia Vicentina
E Dona Rosária também trabalharam
E como lutaram na hora precisa
Mesmo na derrota elas nunca falharam
(Mano Décio da Viola)
Mano Décio da Viola
Pertenceu a minha escola
Já brigou muito por ela
E hoje distante tem saudade dela
Se eu não fosse portelense
Eu seria mangueirense, tá na cara
Sem sair de Mangueira (Mangueira)
Pra curtir Mano Tinguinha
A minha comadre Zica
Nininha partideira lá da estação Primeira (Mangueira)
Só para ouvir o divino Cartola
Cantando pra nós uma linda canção
E Carlos Cachaça, poeta da raça
Brincando de samba, sambando no chão
Mangueira eu queria viver pra você
Ai, se eu pudesse seria um prazer
Mas é na Portela que eu quero morrer (Mangueira)
Mas é na Portela que eu quero morrer

Candeia (Os lírios)


Paulinho da Viola (1976)


 
Memórias cantando (1976)
Álbum completo
 
1. Nova Ilusão (Claudionor Cruz/Pedro Caetano)
2. Cantando (Paulinho da Viola)
3. Abre os Teus Olhos (Paulinho da Viola)
4. Dívidas (Paulinho da Viola/Elton Medeiros)
5. Perdoa (Paulinho da Viola)
6. Mente ao Meu Coração (F. Malfitano)
7. Pra Que Mentir (Noel Rosa/Vadico)
8. O Velório do Heitor (Paulinho da Viola)
9. O Carnaval Acabou (Paulinho da Viola)
10. Coisas do Mundo, Minha Nega (Paulinho da Viola)
11. Vela no Breu (Paulinho da Viola/Sergio Natureza)
12. Meu Novo Sapato (Paulinho da Viola)

PORTELA (1972)


Grêmio Recreativo Escola de Samba PORTELA (1972)
 
 
1 - Ylu Ayê (Terra da Vida) (Cabana - Norival Reis) canta: Silvinho do Pandeiro
2 - O mais belo requinte (Wilson Moreira) canta: Avelino
3 - Manchete (David Correia) canta: Tacira da Portela
4 - A Noite vestia azul (Catoni - Jabolô - Waltenir) canta: Catoni
5 - Saudade (Ventura) canta: Tacira da Portela
6 - Andorinha tonta (Norival Reis - Jorge Duarte) canta: Avelino
7 - Decepção (Ari do Cavaco) canta: Tacira da Portela
8 - Minha ambição (Cabana) canta: Cabana
9 - Nova forma de amar (Joel Menezes) canta: Silvinho do Pandeiro
10 - Choro (Waldir 59 - Chico Macambira) canta: Adilson
11 - Segundo rio que passou (Walter Rosa) canta: Avelino
12 - Só lágrimas (Silvinho do Pandeiro - Almir de Oliveira) canta: Silvinho do Pandeiro

PORTELA


A Majestade do Samba receberá homenagem!
 
A Escola de Oswaldo Cruz será homenageada pelo Cacique de Ramos, amanhã, na quadra do bloco Cacique de Ramos durante a feijoada. 
 
O presidente do bloco, Bira Presidente entregará a comenda Cacique de Ramos ao presidente da azul e branca, Serginho Procópio.
 
Integrantes da azul e branco vão se apresentar na quadra. Bira Presidente, fundador do bloco, conduzirá a solenidade. A feijoada terá início às 13h, com direito a roda de samba e partido alto, a partir das 17h.
 
A diretoria do bloco pede que os foliões colaborem com 1k de alimento não perecível para crianças carentes ajudada pela Arquidiocese do Rio.
 
A entrada é franca. A feijoada custará R$ 15 e mesas, R$ 10. A quadra do bloco fica na Rua Uranos, 1326, em Olaria.

PORTELA - Samba de Terreiro


Partido Alto


Rosário, Chico Santana e Alberto Lonato

PORTELA

PORTELA - Ala dos Malandros

ATENÇÃO !!!  ALA DOS MALANDROS DO G.R.E.S. PORTELA.

" EDITAL DE CONVOCAÇÃO " 

DATA - 29.07.2013 - segunda-feira
LOCAL - G.R.E.S. PORTELA
HORÁRIO - 19h

SOLICITO AOS INTEGRANTES DA ALA DOS MALANDROS DO G.R.E.S. PORTELA, QUE TRAGAM OS DOCUMENTOS CITADOS ABAIXO;

- 02 FOTOS 3X4 ;
- XEROX | RG e CPF ;
- XEROX | COMPROVANTE DE RESIDENCIA.

Um abraço,
Valci Pelé
 
ATENÇÃO !!!
ALA DOS MALANDROS DO G.R.E.S. PORTELA

" EDITAL DE CONVOCAÇÃO "

DATA - 29.07.2013 - segunda-feira
LOCAL - G.R.E.S. PORTELA
HORÁRIO - 19h

SOLICITO AOS INTEGRANTES DA ALA DOS MALANDROS DO G.R.E.S. PORTELA, QUE TRAGAM OS DOCUMENTOS CITADOS ABAIXO:

- 02 FOTOS 3X4 ;
- XEROX | RG e CPF ;
- XEROX | COMPROVANTE DE RESIDENCIA

Um abraço,
Valci Pelé


sexta-feira, 26 de julho de 2013

Zé Keti (Madrugada)


 
Madrugada
(Zé Keti)
Canta:  Maria Creuza
 
A mulher só vive a reclamar
Que eu não tenho hora pra chegar
Sou boemio, tenho que beber
Nunca estou em casa pra jantar
Ela diz que qualquer dia vou morrer
Sou da noite, a noite é toda minha
Tenho um compromisso com a lua
Minha vida é andar na boa
A cantar para os amigos meus
Na esquina ou no botequim
A deus nosso senhor lembrar de mim
Madrugada é a minha companheira
manhece eu estou na brincadeira
Vou pra casa, vou dormir, vou descansar
A noite chega, me pede pra voltar


Velha Guarda da PORTELA (Doce recordações)


Jair do Cavaquinho (Francamente)


 
Francamente
(Jair do Cavaquinho e Ari Araujo)
Canta:  Jair do Cavaquinho
 
Francamente, eu estou encabulado
Ando triste, preocupado
Sem saber o que fazer do coração
Sei que estou perdidamente apaixonado
Por estes olhos vidrados de amor e de ilusão
Um negro brilho de amor
Num rosto triste, amargurado
Eu deslumbrei quando lhe vi
E me perdi, apaixonado
O teu sorriso juvenil a mim fez enfeitiçado
Não é possível tanto amor me ser negado.
 
 

Candeia (Pout-pourri)


quinta-feira, 25 de julho de 2013

Chico Santana (Hino da Velha Guarda da PORTELA)


Hino da Velha Guarda da PORTELA
(Francisco Santana)
Canta:  Francisco Santana

Momento


Walter Rosa e João Nogueira (1979)

Wilson Moreira


 
Deixa clarear
(Wilson Moreira)
Canta:  Clara Nunes
 
Ainda é madrugada
Deixa clarear
Deixa o sol vir dourar os cabelos da aurora
Deixa o dia lá fora
Cantar a canção dos pardais
É cedo, meu amor
Fica um pouquinho mais
Ainda é madrugada
Chega mais pra cá
E espera clarear
 
Deixa que o sol nos encontre no ato do amor
E chorando de inveja
Vá morrendo de dor se por
Só quando a lua no céu se deitar pra dormir
No seu leito de estrelas
É hora de ir, de ir
 
Mas quando o sol se ofuscar na luz do teu olhar
É melhor outra vez esperar clarear, clarear
 
Ainda é madrugada
Deixa clarear
Deixa o sol vir dourar os cabelos da aurora
Deixa o dia lá fora
Cantar a canção dos pardais
É cedo, meu amor
Fica um pouquinho mais
Ainda é madrugada
Chega mais pra cá
E espera clarear

Candeia - Partido Alto


Portela 1982 - Meu Brasil Brasileiro



SAMBA retilíneo, sem apelos de refrões!
Que saudade........!

Surica

Momento

 
Conjunto 5 crioulos

Norival Reis e Dedé da PORTELA


quarta-feira, 24 de julho de 2013

Paulo da PORTELA (Orgulho, hipocrisia)


 
Orgulho, hipocrisia
(Paulo da PORTELA)
Canta:  Clementina de Jesus
 
Orgulho, hipocrisia, vaidade e nada mais
  São três coisas que em menos de um segundo se desfaz
  O mundo é mesmo assim, cheio de ilusão
Na arte de convencer meu coração
 
A vida mal vivida é ilusão
  Vaidade nunca fez bem a ninguém
  É tudo hipocrisia, orgulho e nada mais
a vida que passou não volto atrás

Paulo da PORTELA e Lincoln


Teresa Cristina

 
Teresa Cristina e Os Outros cantam Roberto Carlos
 
Arena Carioca Fernando Torres - Parque Madureira
 27 de julho, 21h
Ingressos: 1º lote meia-entrada (R$ 20) para os 200 primeiros pagantes
Informações: (21) 3495-3093 ou 3495-3078

Zeca Pagodinho

Zeca Pagodinho
 

CITIBANK HALL RIO DE JANEIRO - 09 e 10 de agosto - 2013

Horário:  22:15 h
 

Wilson Moreira

 
 
WILSON MOREIRA
Abertura:
Moacyr Luz e o Samba do Trabalhador
Darcy Maravilha e o Grupo A Cara do Samba
Participações Especiais:
Graça Braga, Suzana Dal Póz, Tania Machado e Fabiana Cozza.

Serviço:
Teatro Rival Petrobras
Dia 13/08 – Terça-feira às 19h30

Rua Álvaro Alvim, 33/37 – Cinelândia
Preço:
Setor A / Setor B / Mezanino:
R$ 50,00 (Inteira)
R$ 35,00 (Promoção para os 200 primeiros pagantes)
R$ 25,00 (Estudante / Idoso / Professor da rede municipal de ensino)

Classificação: 16 anos

Clara Nunes (VIII Festival Cultural)

terça-feira, 23 de julho de 2013

Mauro Duarte e Walter Alfaiate (A.M.O.R)


Portelenses


Candeia (Foi ela)

Foi ela
(Candeia)
Saudade vai
Leva os meus ais, que eu não consigo
Viver em paz, meu coração está ferido
Quem me fez tão infeliz?
Foi ela
Quem Causou esta paixão?
Foi ela
Quem fez esta cicatriz?
Foi ela
Dentro do meu coração
Foi ela
Posto nas noites de lua
O que perdeu meu coração
Vou cantando pelas ruas
Carpindo amarga dor da traição

Candeia (Miragens do deserto/Ilusão perdida/Já sou feliz/Não é bem assim)


Miragens do deserto/Ilusão perdida/Já sou feliz/Não é bem assim
(Candeia)

Velha Guarda da PORTELA (TVU)

PORTELA - Feijoada Ago/2013

Nilze Carvalho

 
A portelense, cantora, instrumentista e compositora Nilze Carvalho é uma das atrações da semana em comemoração ao Dia dos Avós (que é 26 de julho).
 
Mas o show acontece no dia 24, quarta-feira. Vai ter choro, samba, afoxé, xote e baião.

Serviço

O Teatro Sesc Madureira fica na Rua Ewbanck da Câmara, 90
Data: 24/07
Horário: 15h
Lotação: 180
Preço: Gratuito ( sujeito a lotação)

Velha Guarda da PORTELA (Vivo isolado do mundo)


segunda-feira, 22 de julho de 2013

Grupo Jaqueira

Walter Rosa e Silas de Oliveira

 
Legado de Getúlio Vargas
(Walter Rosa e Silas de Oliveira)
Canta:  Walter Rosa

Entristecido
Pelo rude golpe que sofreu
O povo brasileiro
Presta sua homenagem comovido
Ao grande patriota que morreu
Getúlio Vargas
Que relembramos com amor
Sua voz meiga nunca mais se ouviu
Falando ao povo sofredor
Trabalhadores do Brasil
Foi em 1930
À frente da revolução
Getúlio Vargas assumiu
A presidência do Brasil
Era um tempo novo que se abria
E o desenvolvimento industrial
As leis trabalhistas ele cria
E a previdência social
Eram tempos de conquistas
E de grande agitação pelo poder
De 32 a 37 aquele estadista
Reprimiu os comunistas e integralistas
Mas não há quem esconda
Seu valor de idealista
Basta falar em Volta Redonda
Basta falar na Petrobrás
Símbolos vivos dos anseios nacionais
Em 45
Getúlio Vargas foi deposto
Por um golpe militar
Para voltar em 51 ao mesmo posto
Nos braços do povo
Eleito pelo voto popular
Lá, larala, larala
Larala, laralara
Na última etapa de seu governo
Getúlio enfrentou o inferno
E a incompreensão
Sob a fúria assassina
Das aves de rapina
Que queriam o ouro e o sangue
Da nação
Ofendido e humilhado
Pelo próprio povo abandonado
Getúlio já na solidão
Coberto de calúnias e de glórias
Meteu uma bala no coração
Saiu da vida para entrar na História
E daquela carta derradeira
O povo fez sua bandeira
Na luta pela emancipação
Onde ele afirma muito bem
"O povo de quem fui escravo
Jamais será escravo de ninguém"
Lá, lara, lara, larala
Larala, larala, larala, lá

Walter Rosa (Segundo rio que passou)

 
Segundo rio que passou
(Walter Rosa)
Canta:  Walter Rosa
 
Meu povo não é tão cego assim
Para não ver os pontos que a comissão negou
Foi como se fosse à vida da PORTELA
Um segundo rio que passou


Foi como se fosse à vida da PORTELA
Um segundo rio que passou
 
É banalidade, é banalidade
Minha PORTELA mostrar carnaval na cidade
Saudando o povo, ela é do povo
E no futuro nos aplaudirá de novo

Walter Rosa e Catoni (Zambelê)


 
Zambelê
(Walter Rosa e Catoni)
 
Ô Zambelê, pomba branca voou, caiu n'areia.
Água clara molhou mas secou na lua cheia.
 
Ja vi coisas neste mundo que não deu no meu olhar.
Mas eu tenho o peito fundo, quero é tempo pra contar,
pra contar.
Vou contar pra quem não sabe, que o passado nunca encerra.
A maior distância cabe em sete palmos de terra,
de terra.
A saudade quando cansa, de ficar presa na mão, vira a
dor de uma esperança, que não dá no coração, coração.
Ô Zambelê, Zambelê partiu pensando no caminho de voltar.
Mas o mundo foi rodando, e parou noutro lugar, lugar.
Veio o dia, veio a noite, a luz do sol virou luar, e
nos olhos de Maria a tristeza foi rezar,
foi rezar.
Maria na beira da praia, viu a saudade chegar, o mar
molhando a saia, os olhos molhando o mar, o mar, o
mar, o mar, o mar, o mar, o mar, o mar, o mar.
 
Ô Zambelê, pomba branca voou, caiu n'areia.
Água clara molhou mas secou na lua cheia.

Ala de Malandros da PORTELA


COMPOSITORES DA PORTELA BLOG


Cabana e Norival Reis


 
PORTELA 1972
Ilu ayê (Terra da vida)
(Cabana e Norival Reis)
Canta:  Silvinho
 
Ilu Ayê, Ilu Ayê Odara
Negro dançava na Nação Nagô
 
Depois chorou lamento de senzala
Tão longe estava de sua Ilu Ayê
Tempo passou ôô
E no terreirão da Casa Grande
Negro diz tudo que pode dizer
 
É samba, é batuque, é reza
É dança, é ladainha
Negro joga capoeira
E faz louvação à rainha
 
Hoje
Negro é terra, negro é vida
Na mutação do tempo
Desfilando na avenida
Negro é sensacional
É toda a festa de um povo
E dono do carnaval

PORTELA (Transporte de Alegoria - s/d)

domingo, 21 de julho de 2013

Espanhol

PORTELA, Campeã do Samba e Futebol


Walter Rosa (Contrariedade)


Walter Rosa (A timidez me devora)


 
A timidez me devora
(Walter Rosa)
 
Luzes, fantasias e serpentinas
Papeizinhos coloridos
Carnaval
Amores se renovam a toda hora
Alegria parte e vai embora
Carnaval
Então porque somente eu
Não tenho o direito
Aos folguedos próprios da idade aproveitar
 
A timidez me devora
Favorece a tristeza que invade o meu lar
 
Neste mundo onde me perdi
Não quero me encontrar
Se é pecado que peço meu Deus criador queira me perdoar
Se eu voltasse a gozar com euforia
Todos os prazeres da vida
Óh que bom seria

Candeia e Walter Rosa (Peso dos anos)


 
Peso dos Anos
(Candeia e Walter Rosa)
 
Sinto que o peso dos anos me invade
Vejo o tempo entregar à distância
A minha mocidade
Oportunamente partirei
Abandonando as coisas naturais
Mas deixarei saudade, eu sinto...
 
Muita gente há de sentir
Os afetos que ofertei
Os meus beijos hão de ficar
Nos lindos lábios que beijei
Quero risos de alegria
Quero ouvir minhas canções
Aos acordes de plangentes violões.

Walter Rosa (O pior é saber)


 
O pior é saber
(Walter Rosa)
 
Eu não esperava você agora
Só muito mais tarde ou nunca mais
Não me venha dizer o que lhe aconteceu lá fora
Sua ingratidão torturou por demais meu peito

O pior é saber
Que você ainda em mim tem direito
 
Direito em mim
Que estou falando é diferente
Darei casa, comida
Serei prestativo se estiver doente
Mas meu calor jamais lhe aquecerá
Quem passou o que eu passei
Não pode mais perdoar, não pode mais perdoar

Manacéa (A natureza)


 
A natureza (Manacéa)
 
Quando a natureza se aborrece,
Toda a beleza na terra desaparece,
O céu todo escurece
A chuva logo desce
Mas isto desaparece
Quando o céu se resplandece
Os raios de sol logo descem
Clareando todo universo
 
Faz sorrir, a natureza
Despertando
Toda a sua beleza
Oh! Que riqueza e faz sorrir
 
És tão linda natureza
Que nem sei te divulgar
Sei que tu és a rainha
Da beleza.

Ernani Alvarenga (Fica de lá)


 
Fica de lá
(Alvarenga)
 
Embriagar por causa de mulher, não
Deixa ela voltar, também não
Fica de lá que eu fico de cá
Pra ver quem vai ser mais feliz
Assim o nosso destino quis
 
Esta glória de me ver embriagado não lhe dou
Queres rir de alegria deste amor
És a dona do meu sofrimento (sai pra lá)
Cantas por me ver chorar
Choras por me ver cantar
 

Ailton Damião



CPB: Nome e idade?
 
Ailton:  Meu nome é Ailton Damião e tenho 53 anos.
 
CPB: Fale um pouco sobre você!
 
Ailton: Divido meu amor entre minha família, a música, o Direito e a Querida Portela.
 
CPB: Como você chegou à Ala Ary do Cavaco, a Ala de Compositores  mais importante do Mundo do Samba?
 
Ailton: Cheguei à Ala Ary do Cavaco em 1996 à qual tive a honra de ser apresentado pelo próprio Ary, então presidente da Ala. Embora eu já frequentasse a Portela há muitos anos.
 
CPB: Desde quando você compõe?
 
Ailton: Eu componho desde 1975. 
 
CPB: O que você falaria para um Compositor que está chegando agora à PORTELA?
 
Ailton: Se eu tivesse que aconselhar a um novo Compositor de nossa respeitada Ala Ary do Cavaco, eu diria a ele ou ela que, antes de tudo fique ciente de sua responsabilidade, respeite o nosso pavilhão e agisse com honestidade e lealdade no mister de sua arte.
 
CPB: Qual(is) o(s) seu(s) ídolo(s) dentro do Mundo do Samba?
 
Ailton: Meus ídolos no mundo do samba são Martinho da Vila e obviamente, nosso Mestre Monarco.
 
CPB: Conte-nos um pouco de sua experiência no SAMBA!
 
Ailton: Em 1976 já disputava festivais de mpb e concursos de sambas de enredo no grupo  principal das Escolas de Samba de Juiz de Fora e outras cidades de MG onde graças a Deus logrei um número expressivo de vitórias no desfile principal. No  ano  2000 tive a honra de ter minha obra, em parceria, representando a Portela na Sapucaí e contribuido com as notas 10, que garantiram o desempate e colaboraram para que a Majestade do samba permanecesse o grupo especial.
 
CPB: O que é ser PORTELA?
 
Ailton: Para mim, ser PORTELA é ser feliz por ter sempre no olhar as gotas que transbordam um mar de esperança na vitória que virá.
 
CPB: Você tem algum sonho como Compositor? Qual?
 
Ailton: Meu sonho como compositor é que meu filho se orgulhe também de minha obra e que ela possa atingir e tocar as pessoas que amam e valorizam uma boa música.
 
CPB: No evento de Samba-Enredo da PORTELA para 2014, após as mudanças ocorridas na Escola, o que você espera da nova proposta?
 
Ailton: Quanto ao novo quadro que se apresenta  na Portela, vislumbro um futuro otimista considerando que Pessoas de alto nível moral estão participando dessa empreitada.Tomara que os compositores sejam merecedores do respeito incondicional e das homenagens por parte da nova administração.
 
Muito obrigado  por este espaço e pela oportunidade de me manifestar perante meus pares através do BLOG que tão bem nos representa.
 
 
O COMPOSITORES DA PORTELA BLOG agradece a sua participação!

sábado, 20 de julho de 2013

Eliane Faria

Chico Santana e Argemiro


 
Tudo mudou tão de repente
(Chico Santana e Argemiro)
 
Tudo mudou tão de repente
Sozinho estou novamente
A muito tempo que procuro
E não consigo encontrar
Alguém que me faça feliz
E me saiba amar
 
Eu não sei se é meu destino
Desde os tempos de menino
Vivo sofrendo assim
Eu não fui feliz com meu primeiro amor
Trago no peito essa grande dor
Por que sofro tanto assim
Minha cruz é tão pesada
Oh Deus tenha pena de mim.

Chico Santana


 
Silêncio
(Chico Santana)
 
Silêncio
É o que resta para mim
Desde que você partiu
A minh'alma jamais sorriu
O meu peito soluça
E os meus olhos não querem ter,
Nenhuma lágrima
Porque...
 
Mas se meus olhos chorassem
Talvez aliviassem
Este tormento de dor
Quem sofre é meu coração
Guardando esta paixão
De um sofrimento de amor