segunda-feira, 5 de agosto de 2013

PORTELA 1986


 
Morfeu no Carnaval a utopia brasileira
Ary do Cavaco, Carlito Cavalcante, Vanderlei, Nilson Melodia e Paulinho
 
Eu hoje só quero saber
De esfriar minha cabeça
Cantar, sorrir, pular
E esquecer minha tristeza (oh Morfeu)
Deixa Morfeu me levar
Nos seus braços, sonhador
Quero fugir da realidade
Desse mundo sofredor
Nessa noite eu vou
Fazer da dor minha alegria
Sepultar eu vou o dissabor
Do dia-a-dia
Ver o meu irmão plantando
No verde sertão
Descolar um troco e pagar
Geral pro meu patrão (que é vacilão)
Ver minha Portela estourando
A boca do balão
 
Vai, meu time, arrebenta
Até parece o escrete de setenta
O índio em sua selva a sorrir
Feliz nesse torrão
Livre do FMI e da poluição
 
Como é triste o despertar dessa ilusão
 
Que pesadelo
Meu Deus, quanta taxa pra pagar
É trem lotado, que sacrifício danado
Desempregado e com criança pra criar
O nosso ouro lá da serra tá pelado
Já que está tudo arrombado
Deixa o leão se arrumar
 
No país da bola
Só deita e rola
No país da bola
Quem vem com dólar...
 

Nenhum comentário:

Postar um comentário